Connect with us

B2B

COMO COMEÇARAM 5 GRANDES EMPRESAS

Published

on

Conheça a história de 5 empresas famosas que nasceram como startups e se tornaram gigantes.

 

O MVP – Minimum Viable Product (em português, Produto Mínimo Viável) – é uma forma de prototipar ideias que serviu como pilar inicial de muitas startups que hoje são gigantes da tecnologia.

Conceito introduzido pelo americano Eric Ries, em seu famoso livro que descreve processos eficientes para criar empresas, Lean Startup, o MVP previne investimentos altos (e precipitados) porque testa, com as funcionalidades mínimas, a aceitação dos usuários sobre o serviço ou produto.

Conheça a história de 5 empresas famosas que apostaram no Minimum Viable Product.

 

FACEBOOK

O Facebook começou com base em um site chamado Facemash. Criado por Mark Zuckerberg e três colegas seus de Harvard, onde estudava, tinha o conceito básico de classificar a aparência de outros alunos. Por utilizar fotos tiradas ilegalmente do sistema da universidade, o Facemash foi encerrado dias após seu lançamento.

Inspirado pela ideia inicial do Facemash, o Facebook foi criado em 2004. Na época, se chamava Thefacebook e não tinha tantos recursos como atualmente – servia apenas como um anuário direcionado aos alunos de Harvard. Seu MVP combinava a utilização de um modelo básico do produto, com as mínimas funcionalidades, e os testes com um pequeno grupo de usuários iniciais para obter feedbacks.

Logo no início, o sucesso foi tanto que a plataforma se expandiu para outras três universidades americanas: Stanford, Columbia e Yale. Dois anos depois, em 2006, o Facebook oficialmente abriu (para todos que fossem maiores de 13 anos e tivessem um e-mail válido).

 

AIRBNB

O MVP do Airbnb foi feito pelo modo chamado “Concierge” – basicamente, quando a solução ao problema do usuário é entregue manualmente.

Os fundadores do Airbnb, Brian Chesky e Joe Gebbia sabiam que queriam começar um novo negócio, mas estavam sem dinheiro – inclusive para o aluguel do apartamento que dividiam – e sem ideias.

Quando uma conferência sobre design veio à São Francisco, onde moravam, viram uma oportunidade: abriram seu apartamento para os participantes do evento que não conseguissem reservar hotel. O anúncio foi feito em um site simples, mas eles logo conseguiram três hóspedes.

Com a validação de que as pessoas pagariam por este tipo de experiência – de ficar na casa de outros, em vez de hotéis – a dupla lançou o Airbnb (antes chamado de AirbedAndBreakfast).

 

UBER

A companhia global de transporte Uber começou como UberCab, em 2009. Inicialmente, o serviço do aplicativo era destinado a um viajante específico de cada vez e funcionava apenas em IOS (sistema operacional da Apple). Além disso, só era disponibilizado para um grupo pequeno em São Francisco.

O UberCab simplesmente conectava o passageiro a um taxista de carros de luxo. A novidade que trazia é que proporcionava a possibilidade de pagamento em cartão de crédito.

Quando perceberam o potencial do aplicativo, lançaram em outras megacidades, como Nova York, Seattle, Boston e Chicago. Em julho de 2012, a empresa introduziu o uberX, que permite a qualquer um dirigir pela Uber usando seu próprio carro – contanto que passe pela verificação de antecedentes e requisitos do veículo. Esta adição ao sistema revolucionou o mercado de transportes nas grandes cidades.

Atualmente, o Uber funciona com a mesma premissa do seu MVP, mas de forma mais sofisticada e com adição de outros serviços, que aumentam a possibilidade de uso do aplicativo.

 

SPOTIFY

A plataforma foi lançada em 2009 com uma única landing page focada apenas no streaming de música, sua função principal. Com os aplicativos beta de desktop, os criadores puderam testar o mercado, antes de lidar com preocupações maiores, como o licenciamento de músicas, que certamente custaria bastante tempo e dinheiro.

Segundo Henrik Kniberg, que é consultor do método Agile & Lean – que determina técnicas de criação e desenvolvimento de empresas – o Spotify utilizou um ciclo de produção de quatro passos: Think It, Build It, Ship It, Tweak It (de maneira aproximada, Pensar, Construir, Mandar e Transformar, em português).

Deu tão certo, que o processo de quatro etapas é utilizado até hoje para qualquer nova funcionalidade do Spotify. Basicamente, a fase Think It testa a eficiência de MVPs conceituais e a Build It cria MVPs físicos. Ship It e Tweak It lançam, gradualmente, o MVP, ajustando de acordo com o feedback dos usuários.

 

TWITTER

O Twitter foi criado por uma equipe que trabalhava na plataforma de podcasts Odeo. Quando a Apple virou uma concorrente por lançar podcasts no ITunes, a companhia decidiu tentar outro modelo de plataforma.

No início, o chamado Twttr era um sistema em que o usuário mandava uma mensagem para um número de celular e ela era transmitida para todos os amigos.Utilizado como um serviço interno da equipe, o MVP do Twttr era um sistema simples que baseava o login no número do celular que seria utilizado para digitar as mensagens (SMS) a serem disparadas.

A equipe se tornou tão obcecada com o Twttr, que começou a gastar centenas de dólares em SMS. Foi aí que perceberam seu potencial como uma ferramenta de comunicação capaz de conquistar muitos usuários.Pelo nível maior de sofisticação do site inicial, o MVP do Twitter provavelmente não foi dos mais baratos. No entanto, diminuiu as chances de um investimento muito maior dar errado.

 

 

Texto originalmente publicado pelo NA PRATICA 

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

B2B

O IMPÉRIO DO VAREJO NO BRÁS

Published

on

Passa das 4h30 da madrugada, mas é horário de pico nos shoppings da região do Brás, centro de São Paulo. O shopping Vautier Premium é um dos mais movimentados. Com iluminação e corredores escolhidos por um dos principais especialistas em varejo do País, faz parte de um movimento de empresários do centro – de origem árabe e judaica – para concorrer com os camelôs que sempre dominaram as ruas durante a noite. Esse grupo, liderado pelo Mega Polo Moda, já inclui seis famílias que tradicionalmente investem na região.

Ao todo são 11 shoppings funcionando em ruas do Brás e do Pari, em um percurso que pode ser facilmente feito a pé. Entre lojistas e donos de pequenos boxes, são mais de 5 mil empreendedores. Só no Shopping Vautier, erguido no prédio da antiga fábrica da empresa de biscoitos Tostines, são 1,5 mil pequenos varejistas.

Foi um império construído aos poucos. O primeiro passo foi dado há 12 anos, pela família libanesa proprietária da distribuidora de produtos de bebê Brascol. Os libaneses se uniram à família judia que tinha um centro comercial vizinho, dando origem aos shoppings Mega Polo Moda 1 e 2.

Alguns deles têm hotéis anexos, para que os clientes não precisem se deslocar para descansar; o Mega Polo Moda abriga uma torre de escritórios para empresários de fora que queiram montar centros de compras no Brás; e os empreendimentos têm estacionamento para ônibus e oferecem “mimos” para motoristas e guias.

FACHADA DO MEGA POLO MODA

Outros Estados

Em agosto, o Mega Polo Moda vai ganhar uma unidade em Goiânia, com mais de 200 pontos de venda. Depois de dar os primeiros passos fora do ramo das confecções ao se associarem à Galeria Pagé, tradicional vendedora de eletrônicos, a holding em formação está de olho em um novo segmento: o de beleza. O terreno para um shopping que venderá esse tipo de produto já foi comprado. A meta é inaugurar o empreendimento já no ano que vem.

 

*Esta matéria é baseada originalmente da época negócios.

Continue Reading

B2B

GALERIA PAGÉ BRÁS PROMOVE VAREJO ELETRÔNICO, ACESSÓRIOS E MODA

Published

on

By

O Shopping Galeria Pagé Brás, polo de consumo que reúne eletrônicos, importados, moda, bijouterias e cosméticos, realizou nos dias 5 e 6 de março a 2ª edição do”Galeria Pagé Brás Experience”.

O evento foi um grande sucesso. Neste ano o shopping contou com  um Showroom focado nas principais novidades do setor de moda, e o Espaço Tecnologia, onde os clientes e visitantes puderam  interagir e conhecer de perto cada lançamento.

Quem passau pelo Showroom encontrou com  Digital Influencers influentes na região, entre elas  Amanda Djehdian, Dai Macedo e Fenny Calipy.  As blogueiras, que fazem o maior sucesso nas redes sociais, deram dicas de moda e looks para a próxima estação utilizando peças do Shopping Galeria Pagé Brás.

Além disso, os visitantes tiveram a oportunidade de ganhar uma make feita por maquiadores convidados e ainda interagir tirando fotos. Um fashion bar com drinks performáticos trouxe ainda mais glamour ao evento.

Já os apaixonados por tecnologia encontraram um espaço todo dedicado ao tema. Com foco nas novidades do mercado, ilhas foram montadas para demonstração de produtos como multimídia, games, iluminação e muito mais.

Com 13 mil metros quadrados de área para locação, o shopping Galeria Pagé Brás é capaz de abrigar 600 lojas, em três andares, hoje o empreendimento está operando com mais de 400 lojas.

O shopping foi criado para dar conforto para os clientes. O empreendimento conta com seis elevadores e 13 escadas rolantes e duas praças de alimentação.

Shopping Galeria Pagé Brás

Rua Hannemann, 415 – Brás – São Paulo – SP

Continue Reading

B2B

CARREIRAS DO FUTURO

Published

on

Se você nasceu depois dos anos 80 faz parte da geração Millennials ou geração internet.

Diante das transformações sociais e econômicas essa faixa da população cresceu com novos ideais de carreira e atividades profissionais. Com aspectos mais maleáveis e abertos a novas oportunidades os Millennials estão buscando diferentes oportunidades que prezem por qualidade de vida.  Diante deste cenário novas carreiras estão surgindo e vale a pena destacar aqui algumas delas.

  • Consultor de vida fitness
  • Especialista em experiência do usuário
  • Logística avançada
  • Engenheiro front-end ou Desenvolvedor de internet

Continue Reading

Title

Advertisement Enter ad code here

Title

Destaque da semana

Copyright © 2017 Start 2b Corporate ! Come to Brás!